Porta-contentores

Porta-contentores de 25 mil TEU: até onde podem ser úteis os novos colossos dos mares?

Marítimo Comentários fechados em Porta-contentores de 25 mil TEU: até onde podem ser úteis os novos colossos dos mares? 538
Tempo de Leitura: 2 minutos

A introdução de navios porta-contentores cada vez maiores é um tópico amplamente discutido nos círculos académicos e empresariais. O tamanho máximo deste segmento de navios aumentou, de cerca de 5.500 TEU no ano de 1995, para mais de 23.000 TEU em 2019.

A justificativa económica para um aumento adicional no tamanho dos navios deste segmento de cargas depende, em grande parte das condições actuais e futuras do mercado de transporte marítimo de contentores, da adaptabilidade (económica e tecnológica) de portos e terminais e, nos últimos tempos, dos requisitos ambientais, explica um dos mais recentes relatórios levados a cabo pela PortEconomics.

O documento, redigido pelo especialista em Economia Marítima Theo Notteboom e por Jiawei Ge, Mo Zhu, Mei Sha, Xuefeng Wang (todos da Universidade Marítima de Xangai) e Wenming Shi (Universidade da Tasmânia), propôs-se a analisar sob quais condições económicas, operacionais e ambientais, as empresas de transporte marítimo elevariam o tamanho dos Ultra Large Container Vessel (ULCV) dos 18.000 -20.000 TEUS até aos 25.000 TEU.

Porta-contentores de 25 mil TEU são capazes de gerar maiores economias de escala

As diferenças no custo anual dos espaços reservados aos contentores (a bordo dos navios) e nas medidas de custo-benefício são avaliadas em diferentes contextos de mercado e condições operacionais. Os parâmetros básicos dos custos dos navios de 20.000 TEU e 25.000 TEU foram calculados com recurso a uma análise de regressão aplicada aos dados reais de navios de até 18.000 TEU de capacidade. Ora, seguindo estes pressupostos, os resultados da PortEconomics mostraram que um novo aumento de tamanho, para os 25.000 TEU, ainda era capaz de gerar economias de escala.

No entanto, o documento esclarece que as taxas de frete demasiadamente baixas, mesmo abaixo dos valores deprimidos de 2016 e 2017, juntamente com volumes de carga contraídos, não favoreceriam a viabilidade económica de navios de 25.000 navios TEU, em comparação com o ULCV’s de menores dimensões. Assinale-se que este estudo complementa e actualiza conclusões de estudos anteriores que se concentraram em tamanhos de navios muito menores, procurando contribuir para o debate académico, especialmente no que toca aos factores que impulsionam o aumento do tamanho dos navios de carga contentorizada e os constrangimentos ao aumento das escala de navios.

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com