Acordo colectivo em debate: SNMMP e ANTRAM iniciam hoje as negociações

Terrestre Comentários fechados em Acordo colectivo em debate: SNMMP e ANTRAM iniciam hoje as negociações 285
Tempo de Leitura: 1 minutos

O Sindicato nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) reivindica um salário de 1200 euros, um subsídio de 240 euros e a redução da idade da reforma: eis a base para um Acordo Colectivo defendida pela força sindical, e que será hoje apresentada e debatida com a ANTRAM.

«Se somarmos todos os complementos que são atribuídos aos motoristas e o salário base de 630 euros dá um valor próximo de dois salários mínimos e é isso que reivindicamos para salário base, que ficaria indexado ao salário mínimo nacional, acompanhando os respectivos aumentos», explicou, à Lusa, o presidente do sindicato.
Os suplementos de transporte nacional e internacional, adiantou Francisco São Bento, são para manter, pois são uma espécie de ajuda de custo atribuída ao trabalhador deslocado em serviço. O sindicato irá sugerir a criação de um subsídio para compensar os trabalhadores pelo contacto constante com matérias químicas nocivas à saúde.

Sindicato pretende acordo que «respeite categoria profissional»

Entre as exigências da SNMMP está o reconhecimento da profissão como sendo de «desgaste rápido», o que terá assim efeitos directos na reforma. Segundo explicou Francisco São Bento à Lusa, o sindicato pretenda que cada quatro anos de trabalho com produtos químicos seja convertido num ano de abatimento na idade de reforma.

«O que nós queremos é um Acordo Colectivo que valorize e respeite esta categoria profissional. Não somos melhores nem piores, mas existem diferenças, nomeadamente ao nível das exigências que nos são feitas», vincou o líder sindical, criticando o CCT assinado em 2018 entre a ANTRAM e a FECTRANS por estar «cheio de incoerências».

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com