ANTRAM

ANTRAM e FECTRANS criam grupo de trabalho para elaborar «medidas concretas» em 90 dias

Terrestre Comentários fechados em ANTRAM e FECTRANS criam grupo de trabalho para elaborar «medidas concretas» em 90 dias 261
Tempo de Leitura: 2 minutos

Em pleno período conturbado no seio do sector do transporte rodoviário de mercadorias, a ANTRAM e a FECTRANS conseguiram ontem, após reunião, dar um passo em frente rumo à harmonização do sector. Do encontro resultou a criação de um grupo de trabalho que, dentro de 90 dias, apresentará medidas concretas para os motoristas, anunciou o porta-voz da associação.

Este grupo de trabalho «vai reunir um conjunto de vários agentes económicos, não só as transportadoras e os trabalhadores» para gerar «uma discussão séria, num prazo curto e tempo» com vista a «apresentar medidas concretas» para «melhorar a vida destes trabalhadores», revelou André Matias de Almeida. «Será uma das reuniões mais importantes que este sector já teve em toda a sua história», frisou o responsável.

ANTRAM acusa o SNMMP: «Não tem outra vontade que não seja a de fazer a greve»

O porta-voz da associação deixou ainda críticas ao sindicato SNMMP: a intransigência e a rejeição da adesão ao mecanismo negocial proposto pelo Governo (um mecanismo que, segundo André Matias de Almeida, começou por ser ideia do próprio sindicato), reflectem a má-fé negocial do SNMMP, conclui o responsável: «Não há nenhuma cedência do sindicato. A proposta que apresentou representa um aumento salarial de 18%. E este sindicato afirma que o documento que assinou, na presença de membros do Governo, a 17 de Maio, não é válido. Este sindicato não tem outra vontade que não seja a de fazer a greve», concluiu André Matias de Almeida, em declarações às televisões presentes.

Cargas e descargas em debate

Também José Manuel Oliveira, presidente da FECTRANS, prestou declarações à saída da reunião de ontem, realizada no Ministério das Infra-estruturas: o responsável frisou que o encontro serviu para debater aspectos da regulamentação do sector, nomeadamente com o que tem a ver com as funções de carga e descarga das mercadorias, defendendo a estrutura afecta à CGTP que estas funções não devem ser asseguradas por motoristas, o que, aliás, está já definido na convenção colectiva de trabalho, mas nem sempre é cumprido.

José Manuel Oliveira lembrou que a FECTRANS «é subscritora de um contrato colectivo de trabalho e está a proceder à sua revisão», adiantando que está marcada, para Quinta-feira, nova reunião com a ANTRAM .

Com Lusa

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com