bluetech accelerator APDL

Bluetech Accelerator em evidência: Nuno Araújo elogia «impacto positivo» na descarbonização

Marítimo Comentários fechados em Bluetech Accelerator em evidência: Nuno Araújo elogia «impacto positivo» na descarbonização 301
Tempo de Leitura: 2 minutos

O relatório do impacto do programa Bluetech Accelerator – Ports & Shipping 4.0, agora divulgado, desvendou, tal como a Revista Cargo havia já noticiado, impactos potenciais positivos para a empresa na redução da sua pegada de carbono, contribuindo para uma redução compensada de 13 mil toneladas de CO2 nas três unidades de negócio da APDL: Porto de Leixões, Porto de Viana do Castelo e Via Navegável do Douro.

A administração portuária, um dos parceiros da primeira edição do Programa na qualidade de porto pioneiro, coloca-se assim, com dados objectivos a comprovar a tese, na liderança da descarbonização operacional e portuária. O relatório descortina que o projecto em marcha poderá conduzir a uma poupança significativa das emissões de CO2, através da geração de energia renovável das ondas, capturáveis em dispositivos aderentes aos molhes do Douro, Leixões e Viana do Castelo. O início com uma instalação piloto no molhe norte do Douro está já em cima da mesa, adiantou a APDL.

APDL Nuno AraújoEstes resultados traduzem-se num «impacto muito positivo no processo de descarbonização que vem sendo dinamizado nestas unidades de negócio, que faz parte de uma estratégia mais ampla da empresa, que pretende reduzir a sua pegada ambiental, tornando as infraestruturas mais sustentáveis e colaborando nos objectivos nacionais e europeus da neutralidade carbónica», explicou Nuno Araújo, presidente da APDL.

O uso do Bluetech Accelerator surge como uma ferramenta inovadora no impulsionar do uso das novas tecnologias em prol da competitividade portuária trazendo valor acrescentado aos portos e consequentemente à economia nacional. Com estes resultados, a empresa consolida o seu conceito de smart port, sendo este o caminho a seguir para um modelo de negócio portuário mais eficiente, ágil, rápido, seguro e sustentável.

Esta iniciativa faz parte do programa ‘Ocean Portugal’, desenvolvido pelo Ministério do Mar e pela FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, sendo coordenado pela Direcção-Geral de Política do Mar e implementado pela Beta-i. O objectivo passa pelo desenvolvimento da inovação e empreendedorismo na economia do Mar, convidando startups e organizações tractoras a desenvolverem projectos para “solucionar desafios correntes”, que têm impacto na actividade destas entidades.

Saiba mais sobre o Bluetech Accelerator:

Bluetech Accelerator pretende ser «ponto de encontro da investigação, concepção e execução»

Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com