CEO Elmar Degenhart fez o balanço de 2018: Continental anuncia ter atingindo as metas estabelecidas

Empresas, Terrestre, Veículos Comentários fechados em CEO Elmar Degenhart fez o balanço de 2018: Continental anuncia ter atingindo as metas estabelecidas 260
Tempo de Leitura: 4 minutos

A Continental atingiu as metas estabelecidas para o ano de 2018. Apesar do declínio nos mercados auto, a empresa de tecnologia continuou a crescer com rentabilidade. A empresa anunciou que o desempenho operacional foi o previsto para o quarto trimestre. O último trimestre foi impulsionado, em parte, pelas vendas significativas de pneus de inverno e pelo desenvolvimento positivo do mercado nos negócios industriais não-automóvel.

Além disso, a empresa transformou a sua divisão Powertrain num grupo independente no prazo previsto, conforme anunciado. Uma possível Oferta Pública Inicial parcial, para meados deste ano, está a ser preparada. «Alcançámos um resultado respeitável e atingimos as nossas metas anuais ajustadas. Continuamos a crescer de forma lucrativa», começou por declarar o CEO da Continental, Elmar Degenhart.

Analisando os números de 2018, Degenhart prosseguiu: «Como temíamos, o declínio dos mercados automóvel intensificou-se significativamente, uma vez mais, no quarto trimestre. Esse facto, combinado com as profundas mudanças nas nossas indústrias, está a reduzir a nossa taxa de crescimento», frisou, algo que apenas torna mais «notável» o «forte desempenho» dos profissionais da marca.

Nas áreas de negócios automotive, pneus e industrial, a fabricante internacional de tecnologia prevê, para 2019, vendas globais consolidadas entre 45 e 47 mil milhões de euros a taxas de conversão constantes e uma margem EBIT ajustada de 8 a 9%, no actual ano fiscal. As perspectivas da Continental baseiam-se, em parte, na suposição de que o volume de produção global de carros e veículos comerciais ligeiros, em 2019, será similar ao de 2018.

Crescimento da Continental acima da média do mercado no quarto trimestre de 2018

De acordo com os dados veiculados, o crescimento das vendas para 2018 foi de cerca de 1%, face ao ano anterior. As vendas consolidadas aumentaram para cerca de 44,4 mil milhões de euros. A margem do EBIT ajustada foi de, aproximadamente, 9,2%, o que equivale a lucros operacionais ajustados na ordem dos 4,1 mil milhões de euros.

No quarto trimestre de 2018, a Continental gerou vendas de cerca de 11,25 mil milhões de euros, semelhantes a igual período do ano anterior. O EBIT ajustado totalizou cerca de 1,1 mil milhões de euros no último trimestre e a margem do EBIT ajustada foi de, aproximadamente, 9,7%. Em torno dos 1,8 mil milhões de euros, o free cash flow ajustado para aquisições e financiamento de pensão nos EUA superou as expectativas.

Já considerando o ajustamento por mudanças no âmbito de consolidação e taxas de conversão, o crescimento de vendas da Continental foi de cerca de 3% em 2018. Esse desenvolvimento positivo foi contrabalançado por quedas na produção global de automóveis de passageiros e veículos comerciais ligeiros, que se materializaram em cerca de -1% em 2018, com base em dados preliminares.

Previsões cautelosas para o mercado

A Continental acredita que o desaceleramento do desenvolvimento do mercado irá continuar inalterado na primeira metade de 2019. «As principais razões para esta situação são a contínua fraca procura na China, a disputa comercial entre os Estados Unidos da América e a China, e as novas reduções nos call-offs como resultado da mudança na Europa para o Procedimento de Teste Global harmonizado para Veículos Ligeiros). Há também a incerteza geral em torno do Brexit», indicou o CFO da Continental, Wolfgang Schäfer, ao abordar as perspectivas do mercado.

Previsões anuais futuras

«Decidimos expressar as expectativas que temos para o desenvolvimento dos nossos negócios em intervalos», disse Schäfer. O motivo para esta decisão está no facto de que se tem tornado muito mais difícil prever com precisão o desenvolvimento do mercado que é cada vez mais volátil. «Em fases de profunda transformação tecnológica na indústria automóvel, como a que estamos a assistir, e de um cada vez mais ambíguo e instável ambiente económico, previsões exactas implicam uma precisão que, simplesmente, já não é possível», completou.

Para o ano fiscal actual, a Continental espera vendas na ordem dos 45 a 47 mil milhões de euros a taxas de conversão constantes e uma margem EBIT ajustada de 8 a 9% em toda a empresa. 

Divisão Powertrain transformada em grupo independente

A 1 de Janeiro de 2019, como anunciado e dentro do prazo previsto, a Continental completou a transformação da sua divisão Powertrain num grupo independente. A nova entidade, cujo novo nome será anunciado em breve, será preparada para uma possível Oferta Pública Inicial parcial a ocorrer em meados de 2019. Esta estratégia é parte de uma das mais substanciais mudanças organizacionais na história da Continental.

«Após este passo importante no nosso realinhamento, estamos a trabalhar neste momento na preparação da Oferta Pública Inicial parcial do nosso negócio de sucesso Powertrain, que poderá ser uma realidade em meados de 2019», disse Degenhart, expressando a sua satisfação. O realinhamento permite a criação de uma estrutura holding da Continental AG sob a nova marca umbrella “Continental Group”.

Author

Back to Top

© 2018 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com