estivadores

Comunidades Portuárias querem «Plano Estratégico para o Digital» nos portos

Marítimo Comentários fechados em Comunidades Portuárias querem «Plano Estratégico para o Digital» nos portos 533
Tempo de Leitura: 2 minutos

Em carta enviada à Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, as Comunidades Portuárias dos Portos do Continente (CPPC) mostram-se disponíveis para colaborar com o Ministério do Mar para a promoção de um sistema portuário nacional cada vez mais preparado para a nova era do Digital.

No comunicado, ao qual a Revista Cargo teve acesso, as Comunidades Portuárias dos sete portos comerciais de Portugal continental (Comunidade Portuária de Leixões, Comunidade Portuária de Viana do Castelo, Comunidade Portuária de Aveiro, Comunidade Portuária da Figueira da Foz, Comunidade Portuária de Lisboa e Comunidade Portuária de Sines) reconhecem o empenho da Ministra do Mar neste âmbito dos portos digitais – «consubstanciado na sua ‘Estratégia Para o Aumento da Competitivade Portuária 2017/2026» – mas alertam para a necessidade de ir mais além na área tecnológica porque, argumentam, «a diferenciação entre portos, será, doravante, cada vez mais em Click e os portos serão apreciados mais pelo digital do que pelo físico».

«Doravante os guindastes não serão, tanto, o factor de diferenciação competitiva, mas antes as Plataformas Digitais, a Automação, a Robotização e as Energias Limpas, conceitos para onde, nos portos, se está a deslocar a criação de valor», refere ainda o comunicado das Comunidades Portuárias.

leixões portosVantagens identificadas na partilha de informação

Na carta enviada à Ministra do Mar, as Comunidades Portuárias admitem ainda que a JUL «pode vir a ser uma Plataforma de Colaboração no Acesso ao Negócio Portuário», tendo assim potencial para criar um «conhecimento mútuo entre a Oferta e a Procura», tirando o sector portuário nacional benefícios e «vantagem competitiva na partilha de informação».

«O Sistema Portuário Nacional tem de ter acesso à informação onde quer que ela esteja, salvaguardados os limitados, mas compreensíveis, requisitos de confidencialidade e informações de estrita índole comercial quando o bom senso os justifique», acrescentam as Comunidades Portuárias, que reconhecem assim o potencial das «soluções Big Data» como «meio de resposta às exigências de conhecimento».

Proposta a criação de um Plano Estratégico para o Digital

O mesmo comunicado termina com a proposta das Comunidades Portuárias de que os «portos portugueses construam um Plano Estratégico para o Digital abrindo, deste modo, o debate sobre a Visão Digital do Sector Portuário Nacional». E deixam também a manifestação de disponibilidade em colaborar com o Ministério do Mar neste campo tão importante para os portos portugueses.

Leia aqui o comunicado das Comunidades Portuárias dos Portos do Continente na íntegra.

 

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com