CTT e-Commerce Report 2021: e-Commerce B2C cresceu +46% durante 2020

Empresas, Logística Comentários fechados em CTT e-Commerce Report 2021: e-Commerce B2C cresceu +46% durante 2020 762
Tempo de Leitura: 2 minutos

O e-commerce B2C (business to customer) de produtos no ano de 2020, não incluindo serviços, cresceu 46% em Portugal, o que representa mais 26 pontos percentuais que o observado em 2019, alcançando um valor total na ordem de 4,4 mil milhões de euros, revelaram os CTT.

De acordo com o relatório de comércio electrónico divulgado, esta Terça-feira, pelos CTT, o mercado doméstico relativo aos fluxos dos e-sellers que actuam em Portugal cresceu na ordem dos 70%, tendo sido consequentemente o segmento mais dinâmico, ao contrário dos fluxos de inbound, fortemente impactados pelas rupturas das cadeias de abastecimento e transportes internacionais.

Segundo constata ainda o CTT e-Commerce Report 2021, estima-se, levando em conta a recolha de informação realizada junto dos ebuyers, um crescimento do valor do mercado para o final deste ano claramente ainda acima dos 20%. O documento é taxativo ao mostrar que cada vez mais portugueses têm vindo a aderir à compra online. Segundo os dados, cerca de 4,4 milhões de portugueses fizeram pelo menos uma compra online durante o ano de 2020. Estima-se que no final de 2021 serão já 4,6 milhões de portugueses a comprar online.

E-COMMERCE ctt ONLINENo mesmo sentido, verificou-se um aumento do número de compras de produtos no comércio electrónico (18,7 compras anuais em 2020, isto é mais 18,3% que no ano anterior) bem como do valor gasto em cada compra de produtos (53,4 euros). A previsão para o final de 2021 coloca o número de compras online de produtos em 20,4 e o valor médio de cada compra de produtos suba para 52,7 de euros.

No que diz respeito à origem das compras, e como consequência dos efeitos da pandemia de COVID-19 nos transportes e cadeias de abastecimentos internacionais, o crescimento das compras a e-sellers portugueses e espanhóis ganhou peso importante. Em sentido contrário, verifica-se uma queda mais acentuada nas compras com origem na China e no Reino Unido. Os e-buyers são atraídos para a compra online porque esta proporciona facilidade e conveniência de comprar em qualquer lugar e a qualquer hora e pelas promoções e preços mais atractivos. O cliente destaca os factores facilidade da compra (74,2%) e o poder comprar a qualquer momento (62%). Seguem-se promoções e preços com, respectivamente, 56,3% e 52,4%.

E o que compram mais online os Portugueses? De acordo com o documento divulgado, verifica-se um aumento das compras na generalidade das categorias, mantendo-se o ‘vestuário e calçado’ como a categoria onde se fazem mais compras (68%). Seguem-se “electrónica e computadores” (59%), ‘higiene e cosmética’ (44%), ‘livros e filmes’ (41%), ‘electrodomésticos’ (32%), ‘utensílios para o lar’ (31%), ‘material desporto’ (31%) e ‘telemóveis’ (29%). A categoria ‘Equipamentos Electrónicos e Informáticos’ é a que mais cresce (58,5%).

Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com