bandeira portugal rio tejo mar

Descidas na eficiência de portos, ferrovia e transporte aéreo, levam Portugal a perder competitividade

Logística, Marítimo, Terrestre Comentários fechados em Descidas na eficiência de portos, ferrovia e transporte aéreo, levam Portugal a perder competitividade 301
Tempo de Leitura: 2 minutos

As conclusões estão patentes no mais recente documento ‘Relatório Global da Competitividade 2019’, do Fórum Económico Mundial (sigla WEF): Portugal perdeu – em termos homólogos – competitividade na liga das infra-estruturas, tudo por causa das descidas do grau de eficiência verificadas nos portos, na ferrovia e no transporte aéreo. Apenas a rodovia manteve um registo similar ao do ano passado.

O ‘Relatório Global da Competitividade 2019’ colocou Portugal na 34º posição do ranking global, concluindo que o país sofreu um decréscimo relevante em aspectos como a eficiência do transporte público ferroviário, mas também na eficiência dos aeroportos e dos portos. A qualidade das estradas portuguesas também saiu algo beliscada quando comparada com os dados de 2018, ainda assim, as perdas foram bem menores.

No cômputo das infra-estruturas (um dos doze prismas analisados pelo relatório da WEF), o indicador ‘Eficiência do Serviço de Comboios’ caiu, em Portugal, nove posições face a 2018, passando da 23.ª para a 32.ª colocação. No cômputo ‘Eficiência dos Serviços de Transporte Aéreo’, Portugal voltou a registar uma descida face a 2018: um recuo de 16 posições, da 33.ª posição para o 36.º lugar deste ranking.

Se olharmos para os portos, Portugal desceu dez colocações em termos da eficiência dos seus serviços portuários, ocupando, em 2019, o 36.ª lugar, causado, em parte, pela instabilidade sócio-laboral vivida no Porto de Setúbal (na recta final de 2018), que teve directos efeitos nefastos nas exportações da Autoeuropa, tendo, consequentemente, impacto nos dados do comércio externo a nível nacional (tal como apontou a OCDE em Maio).

No que diz respeito à qualidade das estradas e auto-estradas, Portugal recuou mas foi capaz de suster a queda, não seguindo as pisadas dos outros modos de transporte. No ranking, Portugal passou da 5.ª posição para a 8.ª posição, continuando este a ser, ainda assim, um dos aspectos em que o país se encontra mais bem posicionado em termos de competitividade, salientou o jornal digital ‘Eco’.

Com ‘Eco’

Author

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com