Diogo Marecos no parlamento: «Queremos que Setúbal seja um porto muito relevante»

Marítimo Comentários fechados em Diogo Marecos no parlamento: «Queremos que Setúbal seja um porto muito relevante» 509
Tempo de Leitura: 2 minutos

Resolvido, no passado dia 14, o conflito da estiva que perdurava desde 5 de Novembro no Porto de Setúbal, foi hoje tempo dos vários protagonistas decisórios que integram este dossier dizerem de sua justiça na audiência parlamentar na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas. Diogo Marecos, gerente da Operestiva e parte essencial da task force da Yilport em Portugal, foi um dos que interviu perante o parlamento.

Porto de Setúbal

Porto de Setúbal

Diogo Marecos explicou as especificidades do trabalho portuário e abordou, com números a acompanhar, os custos que a que a imobilização de cada navio obriga: cerca de 16 mil euros por dia. «Os custos envolvidos são muito elevados», afirmou, lembrando que a escala de cada navio deve ser encarada com a maior celeridade possível – algo que é impossível a um porto enquanto lida com uma paralisação de trabalhadores.

«Se um navio chegar a uma Sexta com uma paralisação só vai ser operado na Segunda-feira», explicou, citado pela Lusa, alertando que tais comportamentos são vistos como falhas graves de operacionalidade pelos armadores, que, face à persistência das situações, acabam por «deixar de escalar os portos». «Na maior parte dos contratos colectivos, o Sábado e o Domingo são dias de descanso, [logo] é sempre entendido como trabalho suplementar», denotou.

Lembrando que o Porto de Setúbal efectuou «um processo de grande evolução» nos últimos 15 anos, Diogo Marecos detalhou a situação da necessidade das bolsas de trabalhadores, devido à flutuação da procura – «Numa semana podemos ter necessidade de 80 trabalhadores, na semana seguinte podemos não precisar de ninguém e na outra só de três ou quatro», explicou no parlamento.

A obtenção de um acordo – que contou com a mediação do Ministério do Mar – mereceu uma palavra de esperança por parte de Diogo Marecos: «Com este acordo podemos atingir a paz social», declarou, admitindo que todas as partes envolvidas querem o mesmo: «Queremos que [Setúbal] seja um porto muito relevante», atirou.

Com Lusa

Author

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com