Transporte marítimo global crescerá 60% até 2050

Marítimo Comentários fechados em Transporte marítimo global crescerá 60% até 2050 655
Tempo de Leitura: 3 minutos

No seu mais recente relatório, intitulado ‘Maritime Forecast to 2050‘, a sociedade classificadora norueguesa DNV GL adiantou que o transporte marítimo deverá crescer até 60% nos próximos trinta anos. O documento explora o impacto da mudança de paradigma no sistema energético global, a evolução da procura no mercado dos porta-contentores e navios de transporte de gás, o desempenho da economia global, os índices de produção industrial e o crescimento do PIB.


Mudança do sistema energético global terá «significativas implicações» no shipping

O relatório começa por sublinhar a «grande transição» à qual o sistema energético global está ligado, concluindo que essa transição terá «significativas implicações» no transporte marítimo internacional. «A procura (medida em tonelagem por milhas) crescerá 60% até 2050, com o ritmo desse crescimento a ser mais intenso até ao ano 2030», sendo ainda de prever «diferenças notáveis entre os diversos segmentos de ‘shipping’», informa o relatório da DNV GL. A sociedade prevê que a procura «cresça 2,2% em termos anuais no período 2015-2030 e 0,6% a partir daí».

Como será expectável, a procura por bens energéticos como o carvão, o crude e os derivados petrolíferos cairá de forma gradual, e, em sentido contrário, será denotado um crescimento progressivo e sustentado da procura por gás natural (gás natural liquefeito e o gás de petróleo liquefeito) – elemento energético que, de acordo com a DNV GL, ainda será a segunda principal fonte de alimentação do shipping em 2050. O pico da procura do recurso petrolífero será, alega a DNV GL, atingido até 2030.

«Grandes e rápidas mudanças estão a ocorrer no modo como o mundo usa e produz a sua energia», comentou Remi Eriksen, CEO da DNV GL. «O nosso Energy Transition Outlook mostra que, em meados do século, o fornecimento de energia deverá estar equitativamente dividido entre energias fósseis e renováveis. Os avanços na eficiência energética precipitarão uma redução da procura energética a partir de 2030», afirmou, para de seguida concluir: «Estas tendências impactarão todos os agentes do sector marítimo».

DNV GL: «Onda da digitalização terá impacto profundo na indústria»

«No documento ‘Maritime Forecast‘ nós podemos ver as tendências de hoje transformarem-se nos paradigmas de amanhã», comentou Knut Ørbeck-Nilssen, da DNV GL. «O ‘shipping‘ continuará na sua senda pelo aumento de eficiência, redução de custos, melhorias de utilização, diminuição dos consumos de combustível, aumento do tamanho dos navios e aplicação de novas tecnologias», explicou. «A actual onda da digitalização terá também um impacto profundo na indústria – criando novos modelos de negócio», rematou.

Segmento dos porta-contentores crescerá 2,6% ao ano até 2030

O relatório avança ainda que as frotas de navios porta-contentores e de navios de transporte de gás, medidas em porte bruto (deadweight tonnage), crescerão até perto dos 150% até 2050; destaque ainda para o crescimento dos navios graneleiros, que crescerão cerca de 50% nas próximas três décadas. O segmento dos porta-contentores será aquele que maior crescimento sentirá: 2,6% ao ano, medido em tonelagem por milhas – um crescimento que será de 3,2% ao ano até 2030 (seguindo o intenso consumo), e de 2,1% após.



Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com