porto de sines terminal xxi psa

‘Economia do Mar em Portugal’ destaca «crescimento de 120%» de Sines entre 2009 e 2016

Marítimo Comentários fechados em ‘Economia do Mar em Portugal’ destaca «crescimento de 120%» de Sines entre 2009 e 2016 499
Tempo de Leitura: 3 minutos

O estudo ‘A Economia do Mar em Portugal’, já aflorado, em traços gerais, pela Revista Cargo, reserva um capítulo à «fileira dos transportes marítimos, portos e logística», que, como descreve o trabalho da EY e da Augusto Mateus & Associados, é uma das mais «relevantes da Economia do Mar em Portugal».

Transportes marítimos, portos e logística geram volume de negócios de 986 milhões de euros por ano

Detalha o estudo, ao qual a Revista Cargo teve acesso, que esta fileira «é composta por cerca de 379 empresas, que empregam 4.780 trabalhadores e geram um volume de negócios de 986 milhões de euros, um VAB de 439 milhões de euros e um nível de investimento de cerca de 87 milhões de euros anuais». Uma radiografia completa que nos revela ainda «um grau de transformação (VAB/VN) de 44,5%», que faz desta fileira a que «maior intensidade de criação de valor» detém, entre todas as que foram objecto de análise, « alavancada essencialmente pelas actividades auxiliares, portos e logística (com um grau de transformação de cerca de 59%)».

Porto de Sines em destaque pelo seu «crescimento de 120% entre 2009 e 2016»

Focalizando ainda mais a análise, desvendamos, através da visão do estudo, que as regiões  do Norte, Lisboa e Alentejo representam cerca de 82% do VN e 84% do VAB da fileira em questão. «A Área Metropolitana de Lisboa é a região com maior relevância na fileira em Portugal, encontrando-se num processo de consolidação, marcado por um ligeiro aumento do VAB e contracção do emprego. O Alentejo é marcado quase exclusivamente pela relevância das actividades auxiliares, portos e logística, explicada pela actividade do Porto de Sines, que beneficiou de um crescimento de quase 120% entre 2009 e 2016», explicita o documento.

Transporte marítimo responde por 34,5% dos movimentos nacionais e por 58,2% dos internacionais

O transporte marítimo responde por 34,5% dos movimentos nacionais e por 58,2% dos movimentos internacionais de mercadorias em toneladas, ao passo que, em termos de valor, responsabiliza-se por 26,4% do total nacional. Com recurso a gráficos, o documento ilustra a preponderância dos portos lusos (avaliada em volume de mercadorias movimentadas) e os indicadores de algumas das principais actividades económicas associadas aos portos tendo as administrações portuárias como unidade de análise: «Nos casos de Leixões + Viana do Castelo e de Sines + Algarve, são Leixões e Sines, respectivamente, que respondem pela quota-parte maioritária da respectiva unidade».

Como não poderia deixar de ser, o Porto de Sines ganha destaque na análise nacional, sendo caracterizado como um porto cuja evolução na última década tem sido exponencial, um grande impulsionador do progresso quantitativo do sistema portuário português: «A actividade portuária (em volume) em Portugal tem vindo a crescer significativamente nos últimos anos, alavancada por casos de sucesso como o Porto de Sines», escreve o relatório.

Porto alentejano no top dos portos europeus, ressalva ao estudo ‘A Economia do Mar em Portugal’

Mas o porto alentejano não é alvo de enfatização apenas no contexto interno: no conjunto dos 28 países da UE, Portugal responde por uns modestos «0,8% do VAB e 1,2% do emprego comunitário do total da fileira», surgindo «em 12.º de entre 23 países da UE, representando cerca de 2,3% das movimentações de carga em portos da UE28». Apesar disso, Sines volta à ribalta devido à sua quota de mercado e à escalada (no segmento contentorizado) que tem levado a cabo a nível europeu: «Destas movimentações quase metade pertencem a Sines, que se encontra actualmente no top dos portos europeus (13.º lugar) após um período de crescimento muito significativo», atesta o relatório.

Back to Top

© 2018 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com