Especial Revista Cargo – Saskia Kunst: Em Sines, «carga doméstica já é exportada acima dos 90% pela via ferroviária»

Marítimo Comentários fechados em Especial Revista Cargo – Saskia Kunst: Em Sines, «carga doméstica já é exportada acima dos 90% pela via ferroviária» 481
Tempo de Leitura: 4 minutos

A Revista Cargo prossegue com a sua cobertura especial do evento internacional Portugal Shipping Week, com dezenas de reportagens e artigos de fundo que têm como objectivo traçar o retrato fidedigno de todas as declarações e desenvolvimentos relativos ao evento, realizado em Lisboa, entre os dias 17 e 21 de Setembro. Na ordem do dia de hoje está a intervenção de Saskia Kunst, especialista marítimo-portuária que conhece bem a realidade lusa.

Desafiada pelo moderador Albrecht Gundermann, a analisar o cenário marítimo-portuário de Portugal (no painel ‘World trade and shipping: Portugal’s potential’), Saskia Kunst começou por elogiar a mudança de orientação macro-económica operada pelo Executivo liderado por António Costa, para, depois, mergulhar no sector e elencar os factores de sucesso que poderão conduzir o sistema portuário luso à ribalta internacional, deixando, no fim do seu discurso, uma certeza: Portugal está no caminho certo.

«O título deste painel prende-se com o potencial comercial e de Shipping: do que vê em Sines, onde estão os desafios, o potencial e o que fazer para incrementar ainda mais esse potencial?», questionou Albrecht Gundermann, assim passando a palavra a Saskia Kunst, profissional que já integrou a Hutchinson Ports e a PSA, tendo, pela companhia de Singapura, criado uma ligação duradoura com o Porto de Sines.

Saskia Kunst: «o Governo português fez uma interessante inversão de marcha»

«Fico satisfeita por poder trazer alguma perspectiva global para o shipping português», começou por dizer, lembrando que em 2004 desenvolveu «um interesse profissional e pessoal no Porto de Sines e no seu sucesso ao longo dos anos». Saskia elogiou o alívio orçamental do Executivo, relevando o positivo efeito na economia lusa: «Em oposição ao apertar do cinto que ocorreu e que muitos países europeus continuam a adoptar, o Governo português fez uma interessante inversão de marcha em 2015, o que fomentou a confiança dos negócios e do investimento».

A actual CEO da empresa Consiglio Corporate Development BV ilustrou a mudança política recorrendo a uma analogia com Cristiano Ronaldo: ««Além de exportarem para Itália o vosso melhor jogador de futebol, deveriam também exportar a vossa abordagem macro-económica», frase que arrancou aplausos à plateia.

Primeiro factor de sucesso: «maximização» do papel das administrações portuárias

Ao abordar os três factores que concorrem directamente para o sucesso portuário, Saskia Kunst voltou a deixar elogios a Portugal, sem nunca esquecer a referência nacional: Sines. O primeiro factor prende-se, explicou, com a «maximização do novo papel das administrações portuárias por todo o mundo».

«Já todos vimos que as administrações, do ponto de vista de landlord port (porto senhorio), transformaram-se em organizações mais híbridas e, nos últimos anos, ganharam um novo papel no que toca à cadeia logística. Convidaria todos os portos portugueses (incluindo Lisboa mas também Sines) a desempenharem esse papel enquanto player pró-activo e também de pensar no Marketing», comentou.

«O que costumo ouvir, trocando ideias com colegas ligados ao Shipping internacional, é que os portos portugueses não são tão conhecidos como poderiam ser», observou, assim instando os portos nacionais a publicitarem «os planos de desenvolvimento e os investimentos que o Governo está a empregar, juntamente com «uma visão mais holística que o Ministério do Mar vem tentando desenvolver».

Segundo factor de sucesso: «conectividade multimodal»

«O segundo factor é a conectividade multimodal. O sucesso de um porto não se cinge apenas à sua porta dianteira, mas também ao hinterland», explicou. «Acredito que os portos portugueses – e em Sines em particular – estão a caminho de obter uma maior área cativa, até Espanha e França. Sei que existem ainda alguns desafios ferroviários para ultrapassar, mas, actualmente, a carga doméstica já é exportada acima dos 90% pela via ferroviária, o que é um factor essencial de sucesso, em comparação com muitos outros portos».

Terceiro factor de sucesso: «novas cadeias de valor»

«O factor final é mais focado nas novas cadeias de valor. Refiro-me aqui às áreas logísticas e portuárias que são parte fundamental do sucesso de um porto. E, mais uma vez, penso que neste aspecto Portugal está muito bem, e Sines, especificamente, através da ZILS, por exemplo», declarou Kunst, ressalvando a importância da atracção e criação de «mais cadeias internacionais de valor».

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com