EISAP Navio Cima Contentores

Estratégia para o Mar contempla o fomento de uma «bandeira portuguesa competitiva»

Marítimo Comentários fechados em Estratégia para o Mar contempla o fomento de uma «bandeira portuguesa competitiva» 286
Tempo de Leitura: 2 minutos

No passado dia 1 foi publicada a Resolução do Conselho de Ministros n.º 120/2021, que aprova o plano da Estratégia Nacional para o Mar 2021-2030. Numa primeira e «ainda superficial» reacção, Gonçalo Santos, Public Relations Manager na Euromar, salientou, com agrado, que «alguns dos temas que os armadores internacionais com navios registados em Portugal têm – e bem – defendido ao longo dos anos estão contemplados».

Gonçalo Santos numa primeira (e positiva) leitura sobre a Estratégia para o Mar

Além dos temas ligados aos armadores internacionais que possuem navios sob registo português, destaque também para a integração, no plano de acção da Estratégia Nacional para o Mar, para «o controlo de emissões e outros de âmbito ambiental», que «estão também contemplados», realçou Gonçalo Santos, elogiando os focos na promoção de uma «bandeira portuguesa competitiva» e do fomento transversal da «sustentabilidade».

Através de uma publicação feita ontem (dia 1 de Setembro) na redes sociais, Gonçalo Santos enfatizou «as ideias de promover uma bandeira portuguesa competitiva e com uma marca marca ambiental forte», a «aposta na sustentabilidade económica e ambiental, assente num efectivo cumprimento das convenções internacionais e da legislação aprovada pela UE», assim como o intento de «simplificar os processos administrativos relacionados com os registos de navios de transporte, de náutica de recreio e de pesca, introduzindo, sempre que aplicável, incentivos financeiros de sustentabilidade».

«Fundamental é, agora, passar das intenções aos actos»

Gonçalo Santos destacou ainda os planos para «digitalizar os procedimentos de registo de todas as embarcações e navios de bandeira portuguesa; de reduzir barreiras administrativas à actividade profissional dos marítimos e de regulamentar as convenções e outros instrumentos internacionais relativos à segurança marítima e protecção do ambiente marinho». «Fundamental é, agora, passar das intenções aos actos», rematou.

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com