Através de decisão do Ministério das Infra-estruturas e Habitação, o Governo deu luz verde ao encerramento «definitivo» da pista secundária do Aeroporto Humberto Delgado, que em 2018 apenas serviu 0,1% dos voos. A decisão ficou plasmada através de um despacho do secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, de acordo com um comunicado do ministério.

Fecho da pista «é indispensável para avançar com sucesso nas obras do aeroporto»

Concedida a autorização, pode agora a ANA – Aeroportos de Portugal obter, via Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), o processo de certificação da nova configuração do aeroporto da capital, assim como a autorização de todas as obras que conduzem a este fecho de pista. Esta decisão, explica o ministério, «é indispensável para avançar com sucesso nas obras do aeroporto Humberto Delgado».

O espaço que actualmente ocupa a pista «será utilizado para construção de mais estacionamentos para aviões e mais espaço para a circulação dos mesmos», explicitou a tutela, frisando ainda a «a construção de uma nova torre de controlo» e a adição de «infra-estruturas que vão melhorar o serviço prestado». Mais: o fecho da pista, elucidou, «preserva os níveis de segurança adequados à operação do aeroporto Humberto Delgado». A ANA – Aeroportos de Portugal terá que apresentar ao Estado, «no prazo de 30 dias, a calendarização para o início de cada uma das obras».