aicep ZILS Repsol investimento

Investimento da Repsol tem impacto de «mais de mil milhões por ano na balança comercial»

Empresas, Logística Comentários fechados em Investimento da Repsol tem impacto de «mais de mil milhões por ano na balança comercial» 340
Tempo de Leitura: 2 minutos

A Repsol anunciou que irá investirá mais de 725 milhões de euros na expansão da sua produção industrial na Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS), gerida pela aicep Global Parques. Em reacção a este desenvolvimento, Filipe Costa, CEO da entidade, frisou que este investimento terá um «enorme impacto» na balança comercial portuguesa. Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara de Sines, também deixou elogios ao negócio.

Tal como a Revista Cargo noticiou, tratam-se de 657 milhões de euros em duas novas fábricas de polímeros; 22 milhões em tancagem e pipelines para produtos base; 18 milhões em interligações eléctricas e mais de 30 milhões em equipamentos de geração de electricidade renovável para auto-abastecimento. «Este investimento tem um enorme impacto, directo e indirecto, de mais de mil milhões de euros por ano na balança comercial portuguesa, entre a substituição de importações, as novas exportações e o potenciar da indústria transformadora de todo o país», vincou Filipe Costa.

Espera-se que as novas fábricas comecem a operar no terceiro trimestre de 2025, provocando um impacto anual estimado de 400 milhões de euros na substituição de importações e a geração de outros 400 milhões em exportações, para um saldo de 800 milhões na balança comercial lusa. «Este reforço de investimento da Repsol Polímeros traz mais riqueza e mais produção para Sines, além de contribuir para atrair mais empresas dos sectores químico e transformador, criando assim, directa e indirectamente, mais emprego e apreciação salarial para os sineenses», disse Nuno Mascarenhas.

Recorde-se que o Complexo Portuário, Logístico e Industrial de Sines é o hub energético e químico de Portugal, desempenhando um papel central no abastecimento nacional de combustíveis, gás natural, gases industriais e produtos de base para a indústria transformadora nacional. No plano energético, destacamse os desenvolvimentos em curso para a produção de hidrogénio e amónia verdes,que contribuirão para descarbonizar a refinação e a química na ZILS, bem como os biocombustíveis e outros combustíveis alternativos.

Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com