Nova Rota da Seda

Nova Rota da Seda não é miragem: mais comboios China-Alemanha que antes da pandemia

Logística, Terrestre Comentários fechados em Nova Rota da Seda não é miragem: mais comboios China-Alemanha que antes da pandemia 511
Tempo de Leitura: 2 minutos

A Nova Rota da Seda é já incontornável, longe de ser uma miragem revivalista – como reportou recentemente o jornal ‘El País’, a frente logística materializada entre a China e o centro da Europa está cada vez mais intensa, provando que as trocas comerciais entre continentes estão bem acesas, apesar da escuridão global trazida pela pandemia. A liderar este progresso está a ferrovia, conectando China a Duisburgo, na Alemanha.

Nova Rota da Seda veio para ficar: Duisburgo ganha papel de relevo como gateway

Em catadupa, os comboios chineses chegam carregados de mercadorias à cidade alemã de Duisburgo. «As exportações chinesas recuperaram muito rapidamente. Agora recebemos entre 45 a 60 comboios da China por semana», afirmou ao El País Martin Murrack, responsável das Finanças da Câmara de Duisburgo. Pasme-se: trata-se de um número recorde face à média de 35 composições que ali chegavam antes da pandemia.

Duisburgo começa, aos poucos, a consolidar o seu estatuto de porta de entrada dos comboios vindos do Oriente, sendo, cada vez mais, um portal logístico vital neste interface intercontinental. Um autêntico centro de distribuição partir do qual as mercadorias são carregadas em outros comboios, navios e camiões que depois percorrem a Europa. Itália, França, Reino Unido e os países escandinavos são alguns dos destinos dos produtos chineses.

China tenta compensar «tempo perdido»

«A Alemanha vê a China como uma via de saída da recessão. A China foi o primeiro país afectado pela pandemia mas também o primeiro a superá-la. As empresas alemãs têm muito interesse em recuperar o comércio com a China», comentou, ao ‘El País’, Noah Barkin, investigador do Fundo Marshall em Berlim. «A minha impressão é a de que os chineses estão a produzir mais devido ao coronavírus para compensar o tempo perdido», declarou também Daniel Thomas, da empresa Duisburg Intermodal Terminal, que trabalha no porto alemão.

Fonte: El País e Dinheiro Vivo

Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com