O futuro não será um sítio onde o transitário irá para morrer: Congresso da APAT debateu desafios 4.0

Logística Comentários fechados em O futuro não será um sítio onde o transitário irá para morrer: Congresso da APAT debateu desafios 4.0 285
Tempo de Leitura: 2 minutos

O 17º Congresso da Associação de Transitários de Portugal (APAT) arrancou no passado dia 11 de Outubro, em Portimão, e terminou no dia seguinte, com o objectivo cumprido de reunir o sector dos transitários em torno dos grandes desafios da actualidade logística global. A abordagem aos novos obstáculos conduziu a uma reflexão conjunta, e, também, ao reforço de uma certeza: o futuro não será um sítio onde o transitário irá para morrer.

Congresso APAT: «O transitário não está cá para morrer»

«O transitário não está cá para morrer», disse, taxativamente, o presidente da mesa da assembleia geral da APAT, António Dias. Confrontado com os novos desafios da dinâmica industrial 4.0, o transitário precisa, para se consolidar na incerteza do futuro, encontrar formas de incorporar e perceber como lidar com «a parte digital, que está cada vez mais a implantar-se no sector», vincou António Dias.

O Congresso da APAT, que contou com a cobertura atenta do semanário ‘Expresso’, escutou as palavras de Bruno Horta Soares, Conselheiro executivo da International Data Corportation, que relevou o facto de a tecnologia poder «ajudar a transformar a liderança e está a mudar o trabalho»; já o director comercial da F.Rego, Luís Teixeira, frisou existir «mais falta de iniciativa do que propriamente resistência por parte das empresas».

«Ainda existem muitas lacunas de integração digital»

Como relata em primeira mão o semanário ‘Expresso’, as declarações deram corpo ao ‘Momento Expresso’, conduzido pela jornalista da SIC, Marta Atalaya: um dos momentos altos do primeiro dia do congresso. A estas visões juntou-se a de Artur Alves, co-fundador e COO da Mixmove: para o responsável, é claro que «ainda existem muitas lacunas de integração digital». José Carlos Simão, foi outro dos oradores que abrilhantou o Congresso da APAT – para o director-geral da DGRM, é de preservar e enaltecer a «importância do relacionamento pessoal com a pessoa transitária».

Com ‘Expresso’

Author

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com