Ana Paula Vitorino reafirma intenção de ter em Sines um «centro fundamental» para abastecimento de GNL

Marítimo Sem comentários em Ana Paula Vitorino reafirma intenção de ter em Sines um «centro fundamental» para abastecimento de GNL 401
Tempo de Leitura: 2 minutos

Durante a entrevista concedida ao programa radiofónico da Comunidade Portuária de Sines (CPSI), já aqui tratado pela Revista Cargo, Ana Paula Vitorino focou-se também no crescimento do Porto de Sines, alavanca primordial do sistema portuário nacional – a intenção do Executivo, reforçou, é colocar o porto alentejano entre os cinco maiores da Europa.



Tornar Sines «um centro fundamental para abastecimento» de navios a GNL

Para atingir esse objectivo, a Ministra do Mar explicou que o progresso gradual de Sines passará pelo sucesso em três «grandes desafios». «Um deles é exactamente termos Sines como um centro fundamental para o abastecimento de navios por GNL, não é só a questão do depósito, porque já existe, mas é uma questão de tornar Sines num centro de reexportação de GNL, seja através de navios que podem levar para exportação o GNL mas também através do abastecimento de navios cuja propulsão seja feita através de GNL», comentou.

«Os outros dois projectos são a ampliação do terminal de contentores já existente – estamos a renegociar o contrato de concessão que permita acolher maior investimento, ou seja, aumentar fortemente a capacidade de movimentação de contentores através de uma extensão de terminal e mais equipamento – e o terceiro projecto é o lançamento do concurso para um novo terminal de contentores», completou Ana Paula Vitorino.

A meta para Sines é a movimentação de 10 milhões de contentores em 2030

A meta ambiciosa, sublinhou, é fazer com que Sines tenha «capacidade para movimentar 10 milhões de contentores» num «horizonte de médio prazo». «Não será até 2025, mas até 2030, se o mercado tiver o mesmo comportamento que nós estimamos que venha a ter, com certeza que, a médio prazo, teremos mercado para esse crescimento e para essa capacidade», afirmou a ministra.

Portos como «clusters de crescimento»

Quando a entrevista tomou o rumo oriental da diáspora chinesa, Ana Paula Vitorino voltou a «reafirmar a centralidade de Sines», denotando que a iniciativa global da nova Rota da Seda «engloba Sines». « De facto, as rotas do Oriente são muito importantes para o crescimento de Sines, mas também Sines é muito importante para o crescimento das rotas do Oriente, e por isso, Sines está na nova Rota da Seda anunciada pelo Governo chinês no ano passado», comentou.

«Para o Porto de Sines, os benefícios são mais movimentação de carga, mais crescimento, mais emprego; os portos cada vez mais se configuram como clusters de crescimento, porque, quando um porto cresce, não é só a movimentação de carga que crescem, são todos os serviços que se prestam aos portos que crescem», disse.  «Quando cresce uma infra-estrutura desta natureza, crescem os técnicos e outras pessoas que cá trabalham».



Leave a comment

Back to Top

© 2018 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com