Porto de Sines encarado como «peça-chave» da nova relação comercial entre China e Portugal

Marítimo Comentários fechados em Porto de Sines encarado como «peça-chave» da nova relação comercial entre China e Portugal 515
Tempo de Leitura: 3 minutos

Realizou-se hoje no ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão, da Universidade de Lisboa, a conferência ‘Objectivos e Ideais Comuns: 40 Anos de Cooperação entre Portugal e China’, que contou com a presença da Ministra do Mar. A iniciativa teve como principal intuito traçar a «retrospectiva da relação entre Portugal e China ao longo das últimas quatro décadas», e perspectivar «novas formas de cooperação» entre as nações.

Futuro terminal Vasco da Gama em destaque na ligação com a China

Entre os temas centrais da conferência esteve, como não poderia deixar de ser, a mega-iniciativa chinesa Belt and Road, que promete ser um marco internacional de conectividade infra-estrutural e logística entre o Oriente e o Ocidente, interligando portos, estradas, caminhos-de-ferro e até mesmo o transporte aéreo de mercadorias. A criação de uma renovada Rota da Seda tem Sines como ponto fulcral de conectividade intercontinental.

«Foi precisamente nas oportunidades de cooperação actuais e futuras que se centrou a intervenção de Ana Paula Vitorino nesta Conferência, defendendo mesmo que o Porto de Sines – nomeadamente o futuro terminal de contentores Vasco da Gama – poderá vir a ser um elemento chave na relação entre Portugal e China, inserindo o nosso país na Rota Marítima da Seda», adiantou o gabinete de comunicação da tutela.

Neste contexto, destaque para o interesse internacional despertado pelo futuro novo terminal de contentores do Porto de Sines, que, junção com o famigerado Terminal XXI (um dos exponentes de produtividade portuária nacional), farão de Sines uma potência europeia ainda maior no segmento das cargas contentorizadas nas próximas décadas. O seu concurso público internacional «será lançado em breve», lembrou a tutela.

Ministra considera «natural» que Portugal integre a Nova Rota da Seda»

Prova desse interesse foi a visita de uma comitiva chinesa ao porto alentejano, realizada na passada Sexta-feira – a comitiva, liderada pelo Ministro dos Recursos Naturais da República Popular da China, Lu Hau, aprofundou o seu conhecimento do porto e as potencialidades do futuro terminal. Recorde-se que há cerca de um ano, o terminal esteve também em análise durante a visita da Ministra do Mar a Xangai (para reunião com a gigante chinesa do Shipping, a COSCO e a operadora de terminais Shanghai International Port Group).

«Nesta fase de arranque da iniciativa Belt and Road, a maior parte do investimento tem sido concentrado no preenchimento do gap infra-estrutural e logístico na conectividade comercial entre os países, na construção de estradas, ferrovia, produção e transporte de energia, e portos. Neste contexto, sendo Portugal e China países parceiros há vários séculos, é natural que o Portugal faça parte integrante da Nova Rota da Seda, na sua dimensão marítima», defendeu Ana Paula Vitorino, recordando que a nível portuário as empresas chinesas poderão encontrar outras oportunidades de investimento também em portos como Leixões – onde será construído um novo terminal de contentores – ou Lisboa.

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com