Porto de Sines XXI

Portos nacionais movimentaram mais de 85,3 milhões (-5,6%) de toneladas de carga em 2019

Marítimo Comentários fechados em Portos nacionais movimentaram mais de 85,3 milhões (-5,6%) de toneladas de carga em 2019 294
Tempo de Leitura: 2 minutos

Os dados divulgados pela AMT – os quais tivemos hoje acesso – relatam que os portos portugueses do Continente registaram, em 2019, um movimento total de 81,9 milhões de toneladas de mercadorias, valor inferior em -5,8% ao registado em 2018 e correspondente a quase -5,1 milhões de toneladas. Em todo o país, esse registo sobe para os 85,3 milhões de toneladas, plasmando assim um decréscimo de -5,6% face ao ano anterior.

Portos de Leixões, Viana e Setúbal com variações positivas em 2019

Porto de LeixõesNo Continente, explica a AMT, este desempenho global «é muito influenciado pelo comportamento do Porto de Sines, que regista uma diminuição de -5,4 milhões de toneladas (-12,2%), a que acresce a quebra de -253 mil toneladas da responsabilidade acumulada de Aveiro, Figueira da Foz, Faro e Portimão, anulando as variações positivas dos restantes portos, com destaque para Leixões e Setúbal, com acréscimos respectivos de +278,3 e +200,8 mil toneladas, a que se somam ainda Lisboa e Viana do Castelo, com +121,3 mil toneladas, no conjunto».

Em termos de quotas globais, o Porto de Sines mantém a quota mais expressiva com 47,5% do total, tendo, no entanto, perdido a maioria absoluta ao recuar -3,5 pontos percentuais (pp), face à que detinha em 2018. Leixões aumentou a sua quota em 1,6 pp para 21,9%, sendo que Lisboa e Setúbal subiram +0,8 e +0,7 pp para 12,8% e 8,2%, respectivamente. O transporte marítimo de mercadorias movimentadas nos portos do Continente em 2019 foi assegurado, revela a AMT, por operadores de cerca de 60 nacionalidades distintas, sendo que no tráfego internacional o maior volume foi afecto à Suíça, com uma quota de 25,2%, seguindo-se a Dinamarca, os Países Baixos e a Alemanha com 7,6%, 7,1% e 7%, respectivamente.

No tráfego nacional, detalha ainda a AMT, Portugal mantém a 1ª posição como país de registo preferencial dos operadores deste tráfego, com 77,6% (embora o volume de mercadorias transportadas tenha recuado -3%), seguindo-se a Alemanha, com 5,7%, a Suíça, com 4,2%, e os Países Baixos, com 3,1%. A Libéria é o país de registo de navios com maior movimentação em termos de tráfego internacional, responsável por 13,9% do total, seguindo-se o Panamá a representar 13,3% da tonelagem transportada. Neste capítulo, Portugal mantém-se na quinta posição, representando agora 6,3%.

O relatório tem por base as estatísticas produzidas pelas administrações portuárias com jurisdição dos portos comerciais marítimos do Continente, no âmbito da Directiva 95/64/CE do Conselho da União Europeia, bem como a informação disponibilizada pelo INE em sede do Comércio Internacional de Bens e de Transportes e Comunicações, e da Comissão Técnica do Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR).

Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com