ponte leixões porto

Portos nacionais movimentaram 88,8 milhões de toneladas e 2,76 milhões de TEUs até Novembro

Marítimo Comentários fechados em Portos nacionais movimentaram 88,8 milhões de toneladas e 2,76 milhões de TEUs até Novembro 809
Tempo de Leitura: 3 minutos

A AMT – Autoridade da Mobilidade e dos Transportes divulgou os resultados relativos à movimentação dos portos comerciais do continente entre os meses de Janeiro e Novembro do ano passado, os quais mostram um total de 88,8 milhões de toneladas manuseadas, num crescimento de 3,9% face aos mesmos onze meses de 2016.



Com 88,8 milhões de toneladas até Novembro, a AMT refere que este é mais um resultado «que confirma a trajectória de crescimento homólogo a que temos vindo a assistir desde 2010».

No comunicado da AMT são destacados ainda os recordes estabelecidos no Porto de Leixões e no Porto de Aveiro, o inegável contributo do Porto de Sines ou o avultado crescimento do Porto de Lisboa, em particular na carga contentorizada.

Porto de Sines continua a ser o que mais movimenta

Em relação à importância da movimentação de cada porto para o total nacional, os dados da AMT deixam ainda claro que o Porto de Sines mantém «a sua posição de líder, com uma quota de 52,2% do volume de mercadorias movimentadas». Isto, apesar de ter registado um ligeiro decréscimo de -0,9% em comparação com o período Janeiro-Novembro de 2016.

O Porto de Leixões, por sua vez, tem uma quota de 20,2% do total movimentado nos portos portugueses, aparecendo no segundo lugar da lista. E destaque ainda para o Porto de Aveiro que, com o seu melhor resultado de sempre, aparece agora com uma quota de 5,4%.

Aumento de 11% no segmento dos contentores

Os resultados agora divulgados pela AMT mostram ainda que a carga contentorizada continua a dar um grande contributo para a evolução da movimentação portuária nacional. Assim, entre Janeiro e Novembro os portos nacionais manusearam um total de 2,76 milhões de TEU’s, naquela que é a melhor marca de sempre em períodos homólogos e que representa um acréscimo de 11% face aos mesmos onze meses de 2016.

Nos contentores, a AMT destaca também o contributo do Porto de Sines que cresceu 14,3% face ao período Janeiro-Novembro de 2016. Porém, recorda que, como nos meses mais recentes, foi o Porto de Lisboa aquele que registou o maior aumento percentual (+29,6%).

molhe navio sinesTranshipment com clara influência nos contentores

No segmento dos contentores, a AMT realça também que este é um segmento «fortemente influenciado pelas operações de transhipment realizadas no Porto de Sines». «No período em análise, este segmento de tráfego representou cerca de 44,8% do volume total de TEU movimentados no sistema portuário e cerca de 79,5% do movimento do próprio porto de Sines», refere ainda a AMT.

Setúbal, Viana do Castelo, Figueira da Foz e Faro com perfil exportador

Por fim, a AMT refere ainda que «Viana do Castelo, Figueira da Foz, Setúbal e Faro (agora com a actividade muito irregular) são os portos que apresentam um perfil de porto “exportador”, registando um volume de carga embarcada superior ao da carga desembarcada, com um quociente entre carga embarcada e o total movimentado, no período em análise, de 81,8%, 63,9%, 58,6% e 100%, respectivamente».



Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com