renfe mercancías primeiro comboio

Renfe e Telefónica criam incubadora de ‘startups’ para o progresso tecnológico na ferrovia

Terrestre Comentários fechados em Renfe e Telefónica criam incubadora de ‘startups’ para o progresso tecnológico na ferrovia 402
Tempo de Leitura: 3 minutos

O Ministério do Fomento de Espanha busca saltos tecnológicos no sector ferroviário público e escolheu a Telefónica para essa meta. Essencial nesta estratégia será a operadora Renfe, encarregada de procurar tecnologias disruptivas para uma entrada a todo o gás na nova vaga de digitalização – para tal, será lançada uma incubadora de startups, idealizada para acelerar a progressão destas num contexto de inovação.



Telefónica será responsável pela incubadora de projectos

A Renfe concedeu à Wayra, do Grupo Telefónica, a responsabilidade de iniciar o projecto da incubadora de startups, o pilar do projecto. Segundo a imprensa espanhola, a Wayra terá de implementar a incubadora de projectos que capaz de adicionar valor ao sector ferroviário espanhol. Este é visto como um compromisso de inovação, à beira da liberalização do transporte de passageiros por via férrea, fixado para o final de 2020.

Recorda a imprensa do país vizinho que a Renfe tem, nos últimos anos, aumentado as tecnologias a bordo dos seus comboios de alta velocidade e melhorado as plataformas de vendas e atendimento ao cliente; as novas metas procurarão o desenvolvimento da oferta porta-a-porta, promovendo alianças com outros meios de transporte ou a monetização de serviços on demand para o viajante.

Renfe aposta na economia colaborativa e nos trunfos da digitalização

A operadora busca apostar na economia colaborativa, nas potencialidades da Big Data e nos serviços de mobilidade. A esta iniciativa deverá também juntar-se a Adif (entidade estatal gestora da infra-estrutura ferroviária), com o intuito de impulsionar a inovação no que concerne às vias, estações, sinalização, serviços de telecomunicações e também vigilância.

Através do contrato com a Telefónica, doze iniciativas de negócios serão promovidas durante a fase embrionária do projecto, sob o modelo de inovação aberta. O contrato com a Telefónica centrou-se em soluções relacionadas com a gestão de dados, Blockchain, Inteligência Artificial e serviços de mobilidade (MaaS). A Wayra deve, no entanto, limitar-se a projectos e iniciativas que não conflituem com os objectivos da Renfe e da Adif.

Foco nas cargas sem esquecer a importância da sustentabilidade ambiental

Ao que a Revista Cargo apurou, a rede de incubadoras da Telefónica, com presença na Europa e na América Latina, será responsável por projectar os processos de selecção de startups, incluindo a preparação das bases. A Renfe fará duas convocações anuais com vista à selecção dos seus futuros parceiros tecnológicos, focando-se na experiência do passageiros mas também na melhoria do transporte de cargas.

Neste contexto, grande parte do foco incidirá sobre a transposição dos camiões para para grandes comboios ferroviários, a fim de reduzir o impacto ambiental e incentivar a utilização do comboio como eixo central da competitividade e sustentabilidade do transporte de cargas.

Aposta nas incubadoras (e aceleradoras) de startups é desígnio cada vez mais popular

Este passo dado pelo Ministério do Fomento, em conluio com a Renfe, a Adif e a Telefónica, é em tudo semelhante ao projecto abraçado pelo Ministério do Mar em conjunto com a Beta-i (entre outros parceiros, como a Câmara Municipal de Lisboa) – a ideia, cada vez mais disseminada, passa por estabelecer sinergias abrangentes capazes de fomentar o desenvolvimento de novos negócios no âmbito da digitalização, em busca de soluções que acrescentem valor à Economia (neste caso, a do Mar).



Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com