Requalificação de Leixões não pode esperar, sob pena de se perderem mais clientes, alerta Viera dos Santos

Marítimo Comentários fechados em Requalificação de Leixões não pode esperar, sob pena de se perderem mais clientes, alerta Viera dos Santos 411
Tempo de Leitura: 2 minutos

É ansiada há cerca de uma década e tida como vital para o contínuo desenvolvimento do Porto de Leixões, mas o seu parto está difícil: a expansão do porto nortenho continua a suscitar críticas de movimentos populares e até Rui Moreira se mostrou reticente quanto aos seus benefícios. Enquanto se discute, as oportunidades vão-se esfumando e o tempo esgota-se para quem pretende dotar o porto de maior competitividade – esta a posição de Jaime Vieira dos Santos, presidente da Comunidade Portuária de Leixões (CPL).

Em declarações ao jornal ‘Público’, Vieira dos Santos frisou que este impasse adensa os problemas de competitividade do Porto de Leixões: três clientes tomaram outras opções na hora de escolher o ponto de carga e descarga das mercadorias que transportam por via marítima. O porto tem batido sucessivos recordes e demonstrado uma produtividade exponencial, mas precisa de se redimensionar e de se expandir para poder acomodar os novos navios (maiores e menos poluentes). Urge, assim, o processo de requalificação, sublinhou.

Em comunicado emitido esta semana, a CPL considera que as manifestações de contestação à construção do prolongamento do quebra-mar exterior em 300 metros e de aprofundamento do canal de entrada (obras caracterizadas pela Ministra do Mar como essenciais para a evolução do porto) têm servido como »campanha de desinformação» e deixa uma garantia: «Se a obra não avançar, Leixões poderá perder mais clientes». Para Vieira dos Santos, é tempo de a comunidade portuária sensibilizar a população para o impacto da incerteza e da passividade.

Não consumação das obras seria acto «catastrófico», alerta Vieira dos Santos

Para o líder da CPL, a não consumação da requalificação seria um acto «irresponsável» e «catastrófico» para o progresso da economia local e do país, sendo as garantias dadas pelo Estudo de Impacte Ambiental suficientes para avançar com a obra e dela colher os seus benefícios. Actualmente, os navios que excedam os 3 mil TEU de capacidade de carga já sentem alguns constrangimentos no acesso ao porto. Os trabalhos de requalificação permitirão dotar o porto de maior segurança e maior competitividade e atractividade para as linhas marítimas.

Com os 300 metros a mais, o porto poderá receber embarcações com capacidade para 5 mil TEU, com 300 metros de comprimento, passando a estar acessível a 70% da frota mundial. Quem ganha se a obra não avançar afirma serem os portos vizinhos, como o de Vigo ou de Marin, na Galiza.

Author

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com