Sector dos Transportes entre os que têm prazos mais alargados de pagamento, diz estudo da Euler Hermes

Empresas Comentários fechados em Sector dos Transportes entre os que têm prazos mais alargados de pagamento, diz estudo da Euler Hermes 297
Tempo de Leitura: 3 minutos

Segundo o estudo intitulado ‘Payment Behaviour 2018’ da Euler Hermes, o prazo médio de pagamento em Portugal é de 74 dias, o que situa o nosso país nos lugares inferiores da tabela, muito longe dos 40-43 dias da Nova Zelândia ou dos 45-47 dias da Dinamarca. Entre os sectores com maiores prazos de pagamento estão o Tecnológico e o dos Transportes, com um período médio de pagamento de 99 dias.

Segundo o estudo, a média global do prazo médio de pagamento em 2017 foi de 66 dias e estima-se que em 2018 aumentou para 67 dias. Portugal é, juntamente com a Espanha, a Grécia e os Países Baixos, um dos países europeus no qual mais aumentou o prazo médio de pagamento.

Uma em cada quatro empresas recebe após 120 dias

Relata o estudo que em Portugal, uma em cada quatro empresas privadas recebe após 120 dias, porém, o prazo médio de pagamento varia em função dos diferentes sectores de actividade. Assim, o prazo médio de pagamento das empresas portuguesas do sector do retalho é de 17 dias, seguido das empresas do sector da indústria do papel (46 dias) e das empresas do sector das utilities (48 dias). No lado oposto, os sectores com prazos de pagamento mais dilatados são o Tecnológico e o dos Transportes, frisa o documento.

Cerca de 50% dos atrasos ocorrem devido a erros ou discrepâncias nas facturas

Ora, de acordo com a empresa SERES, especialista em soluções de intercâmbio electrónico de documentos, existem três condições principais que atrasam o pagamento das facturas. «A primeira é que a factura não chega ao destino. A segunda é a existência de discrepâncias ou erros na factura. A terceira é que a empresa responsável por fazer o pagamento, não quer ou não consegue pagar a tempo», relata a empresa.

«Quase 50% dos atrasos ocorrem no âmbito dos dois primeiros supostos, os quais surgem no período que vai desde a emissão ao pagamento da factura e que devem ser evitados nessa fase. Este é um período de tempo no qual, normalmente, o provedor desconhece qual é o estado da factura emitida», explicou  SERES à Revista Cargo.

«O objectivo principal de qualquer factura é ser paga. Se as empresas pagam antes do termo do prazo, o seu ritmo de actividade e crescimento será mais rápido. A factura electrónica é um elemento fundamental para reduzir os prazos de pagamento das empresas, dado que a automatização e a rastreabilidade que oferece agiliza consideravelmente todos os processos», frisou a SERES.

«A solução da SERES unifica todos os serviços e as ferramentas necessárias»

«A automatização torna eficientes os processos que implicam tarefas repetitivas e que, apesar de tudo, devem ser muito precisas: facturação, contabilidade, contas a receber e outros processos financeiros. A solução da SERES unifica todos os serviços e as ferramentas necessárias para externalizar a troca, a monitorização e o adiantamento das facturas, transformando progressivamente, ao ritmo de cada negócio e dos seus parceiros comerciais, o trabalho de enviar as facturas em papel de forma electrónica», comentou Alberto Redondo, director de Marketing da SERES para a Península Ibérica e América Latina.

Author

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com