sonae escola de comercio lisboa logistica

Surto detectado em Azambuja pode afectar a capacidade logística do país

Empresas, Logística Comentários fechados em Surto detectado em Azambuja pode afectar a capacidade logística do país 1364
Tempo de Leitura: 2 minutos

O surto pandémico já atingiu, segundo os especialistas, o seu pico, estando agora em fase de recessão – apesar disso, todas as cautelas são poucas e, no domínio da Logística, todos os entraves passíveis de atrasar ou impactar o abastecimento de bens essenciais e serviços importantes.

O surto que recentemente atingiu a região da Azambuja está a semear a incerteza numa das mais importantes zonas logísticas do país, que agrega um punhado de empresas vitais no que toca à cadeia logística do país: são mil de 8 mil aqueles que diariamente dão os braços à grande distribuição e serviços satélite numa das operações logísticas mais concentradas no país, na zona industrial de Azambuja.

Surto afecta região conhecida pelo seu poderio logístico

A recente reportagem do ‘Diário de Notícias‘, assinada por Maria Caetano, ressalva exactamente isso: na região, os armazéns dos maiores distribuidores nacionais formam um corredor quase cerrado ao longo da Estrada Nacional 3, estendendo-se até ao apeadeiro do Espadanal de Azambuja. A região alberga grupos como a Sonae, Auchan, Jerónimo Martins, Staples, Salvesen, Torrestir, MT Portugal, Havi, Siva, GL e DHL.

O surto veio colocar um grão na engrenagem da região logística, que nunca teve de parar durante a vigência do Estado de Emergência. Os autarcas locais, frisa o DN, estão em sobressalto – as infecções por COVID-19 aumentaram significativamente desde há duas semanas para cá, principalmente devido ao surto detectado numa unidade de abate de aves da empresa Avipronto (entretanto encerrada por ordem da Direcção-Geral da Saúde).

O surto, que ameaça disseminar-se pela região, vem gerando alguma incerteza e desconforto numa área que é fundamental para a vertente logística do país, agregando dezenas de negócios que são estruturantes do tecido logístico que mantém Portugal em funcionamento (transporte, armazéns, distribuição alimentar, etc), colocando em causa uma indústria «que não dorme», como descreve a reportagem do jornal.

Com ‘Diário de Notícias’

Author

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com