Lagoa transinsular

Transinsular expande serviço com novas escalas na Gâmbia e Guiné-Conacry

Marítimo Comentários fechados em Transinsular expande serviço com novas escalas na Gâmbia e Guiné-Conacry 419
Tempo de Leitura: 2 minutos

A Transinsular, uma empresa do GRUPO ETE, informou que irá expandir os seus serviços marítimos internacionais já a partir de Outubro deste ano com novas escalas na Gâmbia e Guiné-Conacry.



Leoni P transinsular

Navio Leoni P, da Transinsular, em Algeciras

O alargamento dos serviços da Transinsular para estes dois novos mercados da África Ocidental segue-se ao recente desenvolvimento do seu serviço Lince Class que passou a contar com uma escala em Algeciras na rota para Cabo Verde, «aproximando a Península Ibérica e o Mediterrâneo dos mercados africanos».

Este serviço é ainda complementado pelo serviço Atobá que, a partir de Cabo Verde, oferece transporte quinzenal para a Guiné-Bissau e, a partir de agora, também para Banjul, na Gâmbia, e Conacry, continuando deste modo a oferecer serviços regulares a nichos de mercado da África Ocidental.

Cabo verde é cada vez mais hub internacional

Com a progressiva transformação de Cabo Verde num hub internacional e a possibilidade do transhipment de cargas para navios de menor dimensão, a Transinsular espera poder continuar a solucionar problemas de congestionamento nos terminais de destino, garantindo a realização rigorosa dos serviços anunciados e os melhores transit times.

Os serviços da Transinsular na África Ocidental registam os melhores transit times com origem em Portugal, Espanha, Turquia e Norte da Europa e destino em Cabo Verde, Banjul, Conacry e Bissau, afirmando a empresa que assim consegue garantir «a solução mais competitiva para as exportações com destino a esses mercados».

Claus Larner - CEO TRANSINSULAR

Claus Larner, CEO da Transinsular

«A dimensão da Transinsular e a sua flexibilidade continuam a ser o nosso foco»

«O alargamento do nosso compromisso com a África Ocidental vai traduzir-se na oferta de soluções à medida de cada cliente, com a garantia da fiabilidade de horários e os melhores transit times para nossos clientes no norte da Europa, Península Ibérica e Mediterrâneo Oriental. A dimensão da Transinsular e a sua flexibilidade continuam a ser o nosso foco e é isso que nos permite esta nova expansão», afirma Claus Larner, CEO da Transinsular.

Já Tom Collin, Director da Transinsular para a Europa-África, sublinha que «a diferenciação do nosso produto é fundamental e o desenvolvimento do hub cabo-verdiano é uma parte essencial da nossa estratégia para a África Ocidental. A utilização de um feeder que pode navegar facilmente pelos destinos de menor dimensão oferece um produto realmente premium em mercados que por vezes sofrem congestionamentos graves – proporcionando uma vantagem competitiva aos nossos clientes».

A empresa do Grupo ETE informa ainda que o seu serviço Lince Class é assegurado quinzenalmente pelo navio Leonie P que, por sua vez, está ligado ao serviço Atobá, assegurado pelo feeder M.V. Lagoa.



Author

Back to Top

© 2018 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com