ana paula vitorino ministra do mar fnstp federação

Transporte fluvial de cargas no Tejo é solução para «descongestionar malha urbana de Lisboa»

Marítimo Comentários fechados em Transporte fluvial de cargas no Tejo é solução para «descongestionar malha urbana de Lisboa» 491
Tempo de Leitura: 2 minutos

A Ministra do Mar deslocou-se esta manhã Torre VTS do Porto de Lisboa, onde ficou a conhecer o novo sistema de monitorização do tráfego marítimo do porto, um investimento no valor de 951.606 euros. De seguida, Ana Paula Vitorino presidiu à apresentação do Estudo da Navegabilidade do Tejo, decorrida no auditório do IPMA, em Algés. Para a líder da pasta do Mar, o estudo volta a trazer para a ribalta «uma alternativa eficaz ao transporte ferroviário e rodoviário nas entradas e saídas do porto de Lisboa», capaz de ser regular e estrutural.

«Neste neste momento pode-se, casuisticamente, fazer um transporte por via fluvial, mas não está regulado nem tem alinhamentos que o permitam fazer com regularidade», explicou Ana Paula Vitorino. A solução fluvial afigura-se importante para «descongestionar a malha urbana de Lisboa», sendo uma excelente opção alternativa ao escoamento de cargas (a partir do porto da capital) feito pela rodovia. A opção fluvial concorrerá para tornar o transporte de cargas mais amigo do ambiente: se uma barcaça transportar até 100 contentores, serão menos 100 camiões nas estradas.

O transporte de mercadorias através do rio Tejo chegará à plataforma logística de Castanheira do Ribatejo, de gestão privada, e que irá estar em funcionamento no final de 2020, frisou Ana Paula Vitorino. Mas para que tal seja uma realidade regular e segura, «é necessário fazer as dragagens para se aprofundar o rio e as barcaças puderem navegar», lembrou a ministra, ao prestar declarações à comunicação social. Espera-se que, assim que a plataforma logística de Castanheira do Ribatejo estiver a funcionar, arranque o transporte fluvial, adiantou a ministra.

O estudo hoje apresentado foi da responsabilidade da Administração do Porto de Lisboa (APL) e pretendeu identificar cenários e desenvolvimento dos trabalhos necessários para garantir a navegabilidade do Tejo associada ao transporte de mercadorias — de granéis sólidos e de carga contentorizada.

Author

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com