Henrik Jensen Danica

Urge captar novos talentos: «Indústria marítima precisa de trabalhar mais para se promover»

Marítimo Comentários fechados em Urge captar novos talentos: «Indústria marítima precisa de trabalhar mais para se promover» 400
Tempo de Leitura: 3 minutos

O horizonte do sector do transporte marítimo poderá navegar águas tumultuosas no futuro, devido à crescente escassez de marítimos – depois da Drewry, foi a BIMCO a alertar para o problema estrutural que poderá ameaçar o desenvolvimento do sector. Para Henrik Jensen, da Danica Crewing Specialists, urge captar novos talentos: para tal, a indústria tem de «trabalhar mais para se promover» de forma mais apelativa.

«Com uma forte competição por jovens talentos, especialmente do sector de TI, a indústria marítima precisa trabalhar mais para se promover e as oportunidades que pode oferta», explicou Jensen, lembrando que, actualmente, estas gerações relacionam-se com os locais de trabalho de forma diferente, tendo outras expectativas e preocupações. Assim, torna-se fulcral que o sector busque formas personalizadas de atrair a sua atenção.

Sector tem de se adaptar às «expectativas da geração Z»

«As expectativas da Geração Z em relação ao local de trabalho são diferentes. Eles buscam uma carreira gratificante, com muitas oportunidades, bem como um bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional e princípios ambientais e éticos», declarou o director executivo da empresa que fornece tripulações para grandes armadores. Com o envelhecimento da população marítima, atrair «sangue jovem» para a indústria é essencial. Jensen acredita que o transporte marítimo precisa de modernizar sua abordagem de recrutamento e retenção, a fim de atrair a famosa Geração Z (pessoas nascidas entre meados dos anos 90 e 2010).

«A disponibilidade da tripulação é afectada pela preferência dos marítimos de hoje por férias mais longas e pela necessidade da tripulação participar de cursos durante o tempo de licença para renovação de seus certificados, por exemplo», detalhou, vincando que os contextos actuais não podem ter respostas de actuação cujo aplicação apenas era pertinente e articulada para outras realidades já ultrapassadas. Exige-se uma adaptação urgente. Recorde-se que o relatório da ICS/BIMCO realça a problemática da escassez de marítimos, apontando o ano de 2026 como epicentro da carência.

«Nós mudamos de um ‘factor de tripulação’ – a proporção entre a tripulação a bordo e a tripulação em licença – de 1,5 cerca de dez anos atrás para mais como 1,8, nos dias que correm. E para as empresas que operam uma política back-to-back, com dois grupos de oficiais superiores para cada embarcação, o factor de tripulação é 2», explicou o director da Danica Crewing Specialists, realçando assim outro dos entraves. No entanto, os trunfos de uma carreira no sector continuam a ser importantes e, como a abordagem certa, passíveis de captar talentos significativos.

Indústria tem trunfos para captar novos talentos

«A indústria naval ainda oferece uma carreira profissional gratificante e variada, tanto no mar como em terra, e precisamos trabalhar em conjunto para garantir que esta mensagem seja transmitida a jovens talentosos que podem trazer o seu entusiasmo e uma nova perspectiva para nossa comunidade marítima», rematou Henrik Jensen.

Back to Top

© 2020 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com