ADFERSIT linha do norte ferrovia

Visita de Xi Jinping: a antecâmara de um forte investimento nos portos e ferrovia de Portugal?

Marítimo, Terrestre Comentários fechados em Visita de Xi Jinping: a antecâmara de um forte investimento nos portos e ferrovia de Portugal? 588
Tempo de Leitura: 2 minutos

A visita oficial Presidente chinês a Portugal, que decorreu entre os dias 4 e 5 de Dezembro, marcará a antecâmara de uma nova fase relacional entre os dois países – especialistas em relações internacionais, contactados pela Lusa, adiantam que poderemos estar perante o arranque de um forte investimento chinês em território luso.

A vinda de Xi Jinping a Portugal marca o fortalecimento simbólico da relação comercial entre Portugal e China – para especialistas como Arnaldo Gonçalves, presidente do Fórum Luso-Asiático, esta visita poderá ter sido uma oportunidade para aprofundar dossiers de investimento, quer nos portos lusos quer na ferrovia.

Sines, Leixões e a ferrovia lusa na mira chinesa

Na mira do investimento chinês estarão os portos de Leixões e Sines (devido à elevada competitividade apresentada ao longo dos tempos), a aposta no potencial futuro da CP e a modernização da linha ferroviária portuguesa. Na calha poderá estar também o estabelecimento de uma cooperação tripartida entre a China, Portugal e países africanos ou da América Latina para assegurar investimentos de grande escala, faz eco o semanário ‘Expresso’.

«Esta é uma oportunidade para se passar das palavras aos actos, de dar uma expressão económica às boas relações entre Portugal e a China», comentou, à Lusa, o presidente do Fórum Luso-Asiático. «Portugal, só entre 2010 e 2016, tornou-se no sétimo país europeu em que se registou mais investimento chinês», recordou.

«Está em cima da mesa a possibilidade de a China investir nos portos portugueses», diz Arnaldo Gonçalves

«Na área das infra-estruturas, está em cima da mesa a possibilidade de a China investir nos portos portugueses. O porto de Roterdão está sobrecarregado. Se a China quer prosseguir o esforço no âmbito da iniciativa ‘Uma Faixa, Uma Rota’ vai ter que ter um porto alternativo. Os portos de Leixões e Sines podem ser alternativas interessantes», explicou o professor de Ciência Política e Relações Internacionais do Instituto Politécnico de Macau.

«Portugal precisa de modernizar a sua linha ferroviária»

O especialista defendeu que Portugal necessita de adoptar uma atitude pró-activa na busca de investimento que permite uma modernização e requalificação de vários activos do seu portefólio infra-estrutural. Entre esses activos está, lembrou, a ferrovia: «Portugal precisa, mais tarde ou mais cedo, de modernizar a sua linha ferroviária».

Com Lusa e Expresso

Author

Back to Top

© 2018 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com