Yilport traça estratégia para 2020: foco passa pelo «crescimento orgânico», garante Robert Yildirim

Marítimo Comentários fechados em Yilport traça estratégia para 2020: foco passa pelo «crescimento orgânico», garante Robert Yildirim 325
Tempo de Leitura: 4 minutos

O ano de 2020 já está em pleno andamento e a Yilport veio a terreiro, através do seu timoneiro e fundador, elencar os grandes objectivos e orientações que marcarão a actuação da holding turca durante ano agora que ainda agora começou. Robert Yuksel Yildirim, que assumiu o cargo de CEO da Yilport na sequência da saída, em Dezembro de 2019, de Christian Blauert, desvendou os vectores principais da estratégia da holding e fez um ponto de situação sobre os progressos nas várias infra-estruturas portuárias onde a Yilport marca presença.

Yilport privilegiará «aumento da eficiência» nas suas infra-estruturas

Yilport gulfport

Gulfport: uma prioridade em 2020

Robert Yildirim anunciou sua nova visão, o seu planos de negócios de médio e curto prazo para a empresa: «Fizemos uma revisão da nossa estratégia de crescimento e do nosso plano de negócios de 5 anos para o período 2020-2025, em linha com a nossa meta de estarmos entre os 10 principais operadores internacionais de terminais de contentores até 2025» – um objectivo muitas vezes reiterado pelo líder turco. «A Yilport concentrar-se-á no crescimento orgânico em 2020», revelou, enfatizando a prioridade dada ao «aumento de eficiência» no portefólio da empresa.

«Estamos ansiosos para aumentar os volumes de produção e ampliar alguns dos nossos terminais, a fim de elevarmos as suas capacidades de movimentação anual de cargas. 2020 será o ano de expansão e modernização na Yilport», garantiu Robert Yuksel Yildirim, através de uma missiva à qual a Revista Cargo teve acesso. «Colocamos ênfase em projectos de valor agregado e em equipamentos de última geração; assim, aumentaremos a produtividade através da excelência dos nossos processos», reforçou o agora CEO da holding.

Aposta forte nas novas aventuras: EUA e Itália são adições ao portefólio

Numa breve análise panorâmica sobre as concessões da Yilport pelo globo, Robert Yildirim elencou os passos dados pela empresa para o aumento da eficiência dos processos nos vários terminais, bem como das novas adições ao portefólio: «Actualmente, estamos envolvidos nas fases finais para iniciar as operações em dois novos terminais de contentores em 2020; Taranto Container Terminal, em Itália e Gulfport Terminal no Mississippi, nos EUA», desenvolvimentos oportunamente noticiados pela Revista Cargo.

«Planeamos renovar o Terminal de Contentores de Taranto e elevar a capacidade anual de até 1,5 milhão de TEU. Na Gulfport, comprometemo-nos a atingir os 600.000 TEU de taxa de transferência anual em 2 anos, através de investimentos imediatos, depois de assumirmos o terminal na segunda metade de 2020», adiantou, passando depois a enunciar os apetrechos levados a cabo em Puerto Bolívar (Equador), Gebze (na casa-mãe, Turquia), Puerto Quetzal (Guatemala) e, claro, em Portugal, onde a holding detém uma fortíssima presença.

Equador, Turquia, Guatemala, Suécia e Portugal contarão com investimentos

Projecto da Yilport em Puerto Bolívar

«Em Puerto Bolívar, no Equador, estamos a expandir o porto, construindo o segundo cais de contentores com 450 metros de comprimento com 6 novos guindastes STS e dezoito e-RTG da Mitsui E&S. Duas STS’s mais seis e-RTG’s enviados este mês, provenientes do Japão. As quatro STS restantes e doze e-RTG serão entregues no final de 2020 ou nos primeiros dias de 2021. Também recebemos 2 MHC’s da Gottwald para guindastes super pós-Panamax em Outubro de 2019, e já estão em operação. Assim, a capacidade anual do terminal chegará a 1 milhão de TEU», detalhou.

«Em Outubro de 2019, adicionamos quatro novas e-RTGs ao terminal de Gebze, na Turquia. Estes equipamentos ajudaram-nos a melhorar a produtividade. Por outro lado, acabámos de encomendar quatro novos STS’s e seis novas e-RTGs para o nosso terminal de Gemport», também na Turquia. «Em Puerto Quetzal, na Guatemala, compramos quatro novos MHCs para lidar com os navios porta-contentores super pós-Panamax. Dois desses guindastes foram comprados à Liebherr e dois à Gottwald», rematou Robert Yildirim.

O CEO da Yilport revelou ainda que a empresa adicionou 400 metros de comprimento ao Terminal de Contentores de Gävle, na Suécia, estando actualmente em curso a fase preparatória com vista à construção de um novo pátio para operações automatizadas de e-RTG. Por isso mesmo, explica, a Yilport encomendou três STS’s da Mitsui E&S e 6 e-RTGs automatizados da Konecranes, ,material que será entregue no primeiro trimestre de 2021.

Back to Top

© 2019 Magia Azul, all rights reserved.
Partilhar
Partilhar
pt Português
X
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com